Jovens profissionais: Entre tantas opções, como escolher que carreira seguir? – Por Carola Magnabosco

Você venceu o desafio da Universidade, adquiriu conhecimentos, conheceu muitas pessoas, amadureceu e a formatura chegou! E agora? Ainda está em dúvida sobre qual carreira seguir, como escolher meu caminho?

Ainda tenho dúvidas, gosto de várias áreas e de várias empresas, fiz diferentes estágios e gostei de todos, tenho medo de escolher errado, gosto de uma área mas acho que não dá dinheiro – todas essas dúvidas são naturais no início de carreira e muitos pontos precisam ser levados em consideração. Vamos ao principal:

Assista: Abre a Porteira – Estratégias de Marcas no Agronegócio

O que eu quero fazer daqui para frente? O que eu gosto de fazer? O que me deixa feliz? – Essas são as principais perguntas nessa hora! A escolha do curso de graduação não determina a nossa carreira, ela apenas nos dá um indicativo. Dentro do nosso próprio curso existem vários caminhos que podem ser seguidos, e o que vai determinar o meu é: o que, de tudo que eu vi e aprendi, eu gostaria de fazer?

É bem verdade que saímos perdidos da faculdade, atirando para todos os lados porque ao mesmo tempo que não sabemos ao certo o que queremos, desejamos entrar no mercado de trabalho de qualquer jeito, muitas vezes não importando em que vaga e em que empresa for. Também é normal escolhermos pelo maior salário ou pelo status do cargo ou da empresa. É natural querermos dar uma “satisfação” para nós mesmos, para nossos amigos e família.

Mas na realidade, nenhuma dessas opções funciona! A primeira porque quem não sabe para onde está indo não chega a lugar nenhum. A outra porque o seu reconhecimento e um bom salário devem ser consequência do bom trabalho que você realizar e não ser o objetivo em si. E você só consegue realizar um bom trabalho se gostar do que faz! E mais do que isso: gostar do ambiente em que trabalha, se relacionar bem com os demais colaboradores, ter seus valores e objetivos alinhados com os da empresa.

Veja também: Consumidor brasileiro se interessa mais pelo café gourmet – Por Ana Paula Rezante

Tudo isso parece baboseira, mas não é! Vai por mim, que vou fazer 12 anos de formada e passei por muitas empresas, funções e situações. Gostar e estar feliz com o que faz, ter um ambiente de trabalho saudável e de aprendizado, ter a possibilidade de fazer amigos verdadeiros, crescer profissionalmente, ter qualidade de vida faz a diferença! E salário, nem status nenhum pagam isso!

Construímos nossa carreira aos poucos, às vezes até sem ver! Temos indicações o tempo todo! Um talento natural desde a infância ou uma brincadeira da qual gostávamos muito podem virar uma escolha para o vestibular. Na faculdade, matérias e estágios que temos mais afinidades podem se tornar a carreira que vamos seguir. Nossos professores e outros alunos formados podem nos dar dicas e nos indicar empresas com o nosso perfil. Além disso, filmes, livros, programas de TV que gostamos, profissionais que admiramos, também podem nos inspirar a seguir determinado caminho. A escolha acertada da carreira (função e empresa) está fundamentada em preferências, valores, competências e networking.

Decidido o que você gosta de fazer ou pelo menos fechando o leque para duas ou três opções que te agradam, aí é hora de pensar se tenho as competências e experiências (estágios) necessárias nessas áreas. Não adianta só gostar, é preciso saber fazer!

Se inscreva nas aulas gratuitas de marketing

E se não tivermos essas competências? Aí é hora de planejar como adquiri-las e como mostrar que as outras experiências e conhecimentos que tivemos, mesmo em outras áreas, também são importantes e que podemos aproveitá-los em outros setores. Profissionais especializados em carreiras podem auxiliar nisso.

E não se esqueça: a carreira não é alguma coisa fixa, que você tem que seguir o mesmo caminho até o fim da vida. Nós mudamos, aprendemos, conhecemos outros assuntos, outros lugares, outras pessoas, enxergamos outras habilidades e possibilidades, e é natural que, com o tempo, queiramos fazer coisas diferentes, seja na mesma ou em outras áreas. Eu mesma quis e mudei várias vezes de área, embora sempre no Agro, e sou muito feliz com todas as minhas escolhas.   

Interessado em saber mais? Entre em contato!

11 97295 8274

  carola.magnabosco@hotmail.com

Sou Carolina Magnabosco, Economista pela Esalq/USP com MBA em Gestão Estratégica e Marketing. Após dez anos atuando com gestão, projetos e inteligência de mercado em grandes consultorias e grupos agropecuários, hoje atuo como Coach especializada em Carreiras pela Sociedade Brasileira de Coaching.

The following two tabs change content below.
Graziele Silva

Graziele Silva

Graduanda em Ciências dos Alimentos na ESALQ/USP. Descobrindo as conexões entre Marketing e Alimentos. Acredita que o conteúdo vai unir todas as pontas sem nó do Universo.
Graziele Silva

Graziele Silva

Graduanda em Ciências dos Alimentos na ESALQ/USP. Descobrindo as conexões entre Marketing e Alimentos. Acredita que o conteúdo vai unir todas as pontas sem nó do Universo.

Deixe uma resposta