Soft Skills: competências fora da sala de aula – Por Graziele Silva

Habilidades Técnicas

Desenvolver nossas habilidades técnicas é sempre um exercício a ser feito: excel, inglês fluente, domínio de alguma ferramenta de trabalho, análises químicas, identificação de espécies. Independente da área de atuação, nossas competências específicas são sempre muito bem incentivadas.

Mas além de toda as aptidões que nossas graduações, cursos e certificados nos proporcionam, precisamos de ainda mais recursos para nos destacar no mercado de trabalho e desempenhar nossas atividades como bons profissionais.

Habilidades Interpessoais

Esses recursos que não estão inclusos no currículo, podem ser chamados de soft skills, que compreendem um conjunto de habilidades que facilitam a interação com o meio e as pessoas, dentro do ambiente corporativo. Estas habilidades são conquistadas de maneira mais orgânica, e apesar de não serem facilmente alcançadas, são tão importantes quanto todas as técnicas mais precisas de sua profissão.

Comunicação, empatia, observação e pensamento crítico se tornam ferramentas fundamentais para nos ajudar a viver, aprender e trabalhar de maneira melhor e mais produtiva com as pessoas ao nosso redor.

As soft skills que também envolvem a capacidade de resiliência, colaboração, escuta ativa e assertividade, facilitam a nossa adaptação a ambientes novos, tomadas de decisão sob pressão e melhor compreensão de nossas emoções. 

As soft skills te auxiliam a encarar novos desafios

Podem transformar uma análise de custos em um estudo mais completo a respeito do comportamento de colaboradores e clientes que interferem nesse setor, dentro de uma organização, otimizando ainda mais uma atividade.

Alinhar nossa humanidade a alguns processos que são tratados de forma muito automatizada, pode transformá-los em resultados potenciais e eficientes, tornando-os muito mais produtivos e facilmente executáveis. Além do mais, essas habilidades mais ligadas às nossas competências interpessoais, funcionam como facilitadoras para nos expressarmos de maneira mais clara, o que é constantemente cobrado em processos seletivos, por exemplo.

Inclusive, um importante relatório desenvolvido pela Capgemini e o LinkedIn, aponta que quase 60% de importantes organizações consideram que profissionais com soft skills mais desenvolvidas como foco no cliente e paixão pelo aprendizado, são cada vez mais necessárias para a formação de um profissional altamente capacitado, consequentemente, mais requisitados por essas instituições.

Agora que você já sabe o que são as soft skills e o quanto elas podem impactar positivamente sua carreira e desenvolvimento pessoal e profissional, é importante saber que algumas ferramentas como o feedback e o autoconhecimento podem favorecer no desenvolvimento e reconhecimento de suas soft skills, baseado nos seus pontos forte e fracos.

Se interessa por ferramentas de gestão? Já leu sobre Design Thinking?

Também é bacana ter em mente, que dependendo da cultura de uma empresa algumas competências interpessoais podem ser mais priorizadas que as outras, mas a característica principal das soft skills é exatamente ser um meio de demonstrar suas particularidades e personalidade, o que deve ser bem vindo em todo ambiente de trabalho. Então, desenvolver suas habilidades de liderança, e traduzir os jargões técnicos para as pessoas de fora de seu ambiente, criatividade e inteligência emocional, devem ser sempre estimuladas, mesmo que você não queira se tornar uma referência nas áreas que tradicionalmente exigem mais dessas habilidades.

The following two tabs change content below.
Graziele Silva

Graziele Silva

Graduanda em Ciências dos Alimentos na ESALQ/USP. Descobrindo as conexões entre Marketing e Alimentos. Acredita que o conteúdo vai unir todas as pontas sem nó do Universo.
Graziele Silva

Graziele Silva

Graduanda em Ciências dos Alimentos na ESALQ/USP. Descobrindo as conexões entre Marketing e Alimentos. Acredita que o conteúdo vai unir todas as pontas sem nó do Universo.

Deixe uma resposta